Nascido em Arapiraca, AL, Brasil, 1975. Formou-se em Comunicação Social pela Universidade São Judas Tadeu, São Paulo em 1997. Vive e trabalha em São Paulo. Atuou como redator publicitário de 1999 a 2011, e em paralelo desenvolveu seu trabalho artístico, participando de diversas atividades de formação artística, entre as quais, o 38º Procedência e Propriedade, com Charles Watson, no Ateliê Mundo Novo, Rio de Janeiro; “Arte Contemporânea”, com Pedro França, no MAM/SP e acompanhamento de trabalho com Franz Manata, professor da EAV Parque Lage. Entre 2012 e 2015 fez parte do grupo de acompanhamento de projetos do Hermes Artes Visuais, com orientação dos artistas Nino Cais, Carla Chaim e Marcelo Amorim. Pesquisa conceitos relativos à percepção e representação da realidade e investiga possíveis relações entre arte e outras modalidades de atuação como arquitetura, design, publicidade, ciência e política. Por meio de intercâmbios entre mídias como desenho expandido, escultura, instalações, vídeos e monotipias, propõe relações entre o espaço da obra e o espaço em que ela está inserida. Em 2016, entre outras mostras, realizou a exposição individual "Re[a]presentação", no Museu Paulo Setúbal. Em 2015 ganhou o prêmio Aquisição da Bienal de Las Fronteras, coleção do Museo de Arte Contemporânea de Tamaulipas - Instituto Tamaulipeco para a cultura e as artes, conselho nacional para a cultura e as artes, México. Nesse mesmo ano participou da coletiva "Archetyp", na galeria Dialogart em Viena, Áustria.

FÁBIO LEÃO2.jpg

Em 2014 Fabio Leão participou das residências artísticas "MacDowell Colony Fellowship", em Peterborough, New Hampshire, nos EUA e "Obras em Construção", na Casa das Caldeiras em São Paulo. Nesse mesmo ano, participou da coletiva "O Saber da Linha", na Pinta London Art Fair, em Londres. Em 2013 foi um dos premiados do Salão dos Artistas sem Galeria. Nesse mesmo ano, ganhou o Prêmio Aquisição no Futuro Salão Nacional de Artes Visuais de Jundiaí, Arte Contemporânea e Novas Tecnologias, participou da exposição “Arte e Design”, na Torre Santander, em São Paulo, com curadoria de Rejane Cintrão e, entre outras mostras, realizou a exposição individual “Deslocamentos”, na Galeria Cañizares da Escola de Belas Artes da UFBA, em Salvador. Em 2012 ganhou o Prêmio “Olho Latino” devido à sua participação na 6ª Bienal do Esquisito. Entre suas atividades artísticas, destacam-se ainda as exposições coletivas “Atelier Aberto”, no Instituto Tomie Ohtake, em 2004; e o III Prêmio Michelângelo de Pintura Contemporânea, no Centro Cultural São Paulo, concurso em que foi o primeiro colocado, sendo premiado com uma viagem a Paris.