O objetivo é proporcionar aos artistas a oportunidade de estabelecer conexões e pesquisas que os permitam ousar novas ideias, assumir riscos e concretizar novos e ambiciosos projetos artísticos.

O programa seleciona artistas e os convida a uma aventura com duração de três meses: viver e criar em Santo Amaro, bairro na zona sul de São Paulo. A residência foi nomeada Estudo Aberto, pois o foco é compartilhar sua experiência com o público e mostrar seus trabalhos finalizados ou ainda em desenvolvimento. Cada artista-residente recebe um estúdio montado e o apoio de nossa equipe. Nesse período, os participantes são estimulados a compartilhar suas ideias e a mergulhar na cena cultural da cidade de São Paulo. O resultado será exibido por duas semanas em nossa galeria. Além disso será realizada uma conversa aberta a comunidade entre o artista e algum critico ou curador chamado especialmente para essa ocasião. Todos os trabalhos produzidos durante o período de residência são propriedade do artista.

 

sobre a residência

Durante os 3 meses de residência o artista terá a sua disposição um espaço de trabalho amplo com duas mesas grandesde 2 x 1,5m cada, paineis de madeira instalados na parede e depósito para materiais. Os horários de trabalho são livres e porém devem ser combinados com nossa equipe que sempre acomodará na medida do possível as necessidades do artista. Biblioteca e videoteca do ateliê podem ser utilizados como material de consulta durante o periodo. Será cobrada uma taxa mensal para manuntenção do espaço. O ateliê não dispõe de espaço para dormir.

 

 

 
 

residentes • 2016

Screen Shot 2016-10-23 at 7.41.12 PM.png

Renata Huber

Nasceu em São Paulo, onde reside e trabalha. Passou pelo teatro para assentar-se nas artes visuais. Segundo a artista: “A investigação de meu trabalho é a matéria em transformação, os corpos e seus desdobramentos. Não há matéria morta nem forma que seja estável. Seja nas fotografias, nas esculturas ou nos desenhos, há sempre um hibridismo de formas e materiais, um olhar em suspenso onde vida e morte se confundem”.

Seres, 2016

A generosidade do espaço transformou a dimensão do meu trabalho e proporcionou um aprofundamento em minha pesquisa poética.
— Renata

Renata Huber mostra seus trabalhos em processo. As formas estão inacabadas, sempre em constante mutação,  fechadas sobre sim mesmas, em suspenso, na espera ... Uma pergunta sobre a gênesis e o desfecho que insiste nas mais diversas e estranhas formas. A obra Pandora traz a surpresa do que era, do que já não está e só é resto",  Isabel Villalba, curadora.