4.jpg
4.jpg

O ateliê


Fundado em 2012 pela artista visual Alexandra Ungern, o Ateliê Alê nasceu como  uma nova proposta no cenário contemporâneo da arte. Seu objetivo é viabilizar um laboratório, aberto ao público, de experimentações artísticas e curatoriais. Além de ser uma nova alternativa para as instituições já existentes, este espaço em Santo Amaro se insere dentro do campo das artes visuais com a implementação de cursos, palestras, conversas e exposições.

O espaço já patrocinou varias exposições em São Paulo e ofereceu cursos de fotografia digital, monotipia, pintura, mosaico e aquarela.

O Ateliê Alê estreou no campo internacional com sua participação na PINTA London 2014 - Feira Ibero e Latino Americana de Arte Contemporânea, onde representou dez artistas emergentes, apresentando, como projeto artístico convidado, a exposição “O Saber da Linha”, com curadoria de Paulo Gallina. Em 2015, através de uma parceria com artistas de Nova Iorque, executou a exposição "Be Here Now".

Em 2016 participou da feira CROSSROADS (anterior Pinta London) em Londres, apresentando os Projetos do Ateliê na categoria “ Propostas Especiais” , como o projeto Portão (Graffiti) e Residências Artísticas.

O Ateliê Alê participa pela primeira vez na FEIRA PARTE-2017 como coletivo de artistas. Uma parceria com: Alexandra Ungern, Ana Rey, Ann Tarantino, Edna Canoso, Esther Casanova, Fábio Leão, Fabiola Chiminazzo, Jê Américo, Martha Simões, Renata Huber e Sueli Espicalquis com assistência  curatorial de Isabel Villalba.

SCROLL DOWN

O ateliê


Fundado em 2012 pela artista visual Alexandra Ungern, o Ateliê Alê nasceu como  uma nova proposta no cenário contemporâneo da arte. Seu objetivo é viabilizar um laboratório, aberto ao público, de experimentações artísticas e curatoriais. Além de ser uma nova alternativa para as instituições já existentes, este espaço em Santo Amaro se insere dentro do campo das artes visuais com a implementação de cursos, palestras, conversas e exposições.

O espaço já patrocinou varias exposições em São Paulo e ofereceu cursos de fotografia digital, monotipia, pintura, mosaico e aquarela.

O Ateliê Alê estreou no campo internacional com sua participação na PINTA London 2014 - Feira Ibero e Latino Americana de Arte Contemporânea, onde representou dez artistas emergentes, apresentando, como projeto artístico convidado, a exposição “O Saber da Linha”, com curadoria de Paulo Gallina. Em 2015, através de uma parceria com artistas de Nova Iorque, executou a exposição "Be Here Now".

Em 2016 participou da feira CROSSROADS (anterior Pinta London) em Londres, apresentando os Projetos do Ateliê na categoria “ Propostas Especiais” , como o projeto Portão (Graffiti) e Residências Artísticas.

O Ateliê Alê participa pela primeira vez na FEIRA PARTE-2017 como coletivo de artistas. Uma parceria com: Alexandra Ungern, Ana Rey, Ann Tarantino, Edna Canoso, Esther Casanova, Fábio Leão, Fabiola Chiminazzo, Jê Américo, Martha Simões, Renata Huber e Sueli Espicalquis com assistência  curatorial de Isabel Villalba.

Instalado desde 2012 em um amplo espaço em Santo Amaro, o Ateliê Alê se estabelece como importante espaço alternativo na cena cultural e artística da cidade de São Paulo.

Exposição de Bazarte de 100 à 1000 uma parceria com a Casa Contemporânea e Galeria TATO

Exposição de Bazarte de 100 à 1000 uma parceria com a Casa Contemporânea e Galeria TATO

Além de ser uma nova alternativa para as instituições já existentes, este espaço no coração pulsante de Santo Amaro se insere dentro do campo das artes visuais com a implementação de cursos, palestras, conversas e exposições.

Aula do Grupo de acompanhamento de projetos do Hermes Artes Visuais com Nino Cais no Ateliê Alê

Aula do Grupo de acompanhamento de projetos do Hermes Artes Visuais com Nino Cais no Ateliê Alê

O Ateliê Alê tem impulsionado a carreira de muitos artistas, que conseguiram visibilidade internacional.

 
Encontrei no espaço deste ateliê uma verdadeira vontade em testar limites e encontrar-se com o novo. As exposições e propostas que se apresentaram no espaço nos últimos anos eram sempre provocações. Lembro-me de conseguir elaborar o pensamento sobre certo saber que existe singularmente no trilhar de uma linha. Uma proposta ambígua, porque a palavra linha não está associada a forma alguma, seria o ato de desenhar ou de costurar, cerzir, a conter a sabedoria comentada? Por que não ambos?! A pesquisa e a troca com os artistas foi facilitada pelo espaço e seus membros. A exposição foi tão interessante que acabamos sendo convidados à participar da feira PINTA em Londres. É interessante vermos parcerias renderem tantos frutos, especialmente com nosso novo grupo de estudos.
— PAULO GALLINA

Quem somos


Quem somos


Alexandra Ungern

artista visual e fundadora

No bairro onde está o Ateliê Alê não existia galeria ou centro cultural, penso que nossa iniciativa proporcionou um ambiente cultural para aqueles que não tem essa facilidade. "

Isabel Villalba

curadora

Sou apaixonada pela arte e pela psicanálise. A fotografia, o cinema e a literatura são fontes de inspiração constante.  Acredito na “cumplicidade”entre artista e curador para construir juntos uma exposição de arte.

Desde sua concepção, o Ateliê Alê vem buscando abrir novos caminhos para inspirar talentos e despertar pessoas.

 
Agradecemos a todos que de uma forma ou de outra têm nos ajudado nessa empreitada e esperamos que nossa modesta contribuição inspire mais iniciativas de fomento à cultura na cidade de São Paulo e especialmente em Santo Amaro.
— Alexandre